A Regra do Horizonte

By clopezso | Fundamentos

A Regra do Horizonte - Que é, como funciona?

A Regra do Horizonte é uma das Regras importantes de composição fotográfica, por trás da Regra dos Terços,  e da Regra do Olhar. Na realidade a Regra do Horizonte deriva da Regra dos Terços, como veremos.

A Regra do Horizonte diz que dividindo o enquadramento horizontalmente, em três partes iduais, o horizonte devemos situá-lo perto de uma das linhas que dividem a fotografia.

Imagem do gráfico que mostra a divisão em três áreas iguais, o emquadramento , com as duas linhas imaginarias como indica a regra do horizonte. O gráfico mostra tanto o enquadramento horizontal quanto o vertical.

Esta regra se aplica tanto na hora de tomar a fotografia, quanto na hora de ajustá-la na edição posterior.  

Fotografia de uma paisagem de uma praia, do lado direito, com duas pessoas somente, uma em pé na areia, e outra justo saindo da agua do mar. o horizonte do mar quase coincide com a linha imaginaria que divide em trê partes iguais, o enquadramento, como indica a regra do horizonte.

Quando fotogramos paisagens, vamos apreciar como facilita compor a fotografia aplicando esta simples regra. Temos percebido que uma fotografia que tiver o horizonte justo no centro, causa indiferênça no observador. 

Do mesmo jeito percebemos que colocar o horizonte acima do centro, dá mais protagonismo à terra. Enquanto que posicionar o horizonte abaixo do centro dá mais protagonismo ao céu. 

fotografia que mostra a imagem de de um por do sol. Esta fotografia foi tirada desde dentro da agua na praia, porque a agua se aprecia na parte baixa da fotografia que reflexa levemente a luz do sol, e justo por cima, está a praia no escuro, e sobre ela saindo uns coqueiros que deixam passar teuemente a luz do sol, e destacam sobre o céu cinça azulado com ligeiras núvens.

Outra coisa que indica a Regra do Horizonte, é que sem importar a que altura esteja o horizonte dentro do enquadre, nem diferenciar entre um enquadramento horizontal ou vertical, o horizonte deve ser paralelo com as margens da fotografia.

Tanto a Regra dos Terços quanto a do Horizonte, procuram evitar colocar os elementos importantes da fotografia dentro do enquadramento, de forma que provoquem simetría, que geralmente está disfarçada no centro ou metade da fotografia. 

1.- Como funciona a Regra do Horizonte?

Acredito que você conhece as regra mais importante da composição fotográfica, que é a Regra dos Terços. Esta regra diz que dentro do enquadramento da fotografia, existem 4 pontos fortes ou áureos, que temos que aproveitar para criar imagens impactantes.

1.1.- Quando o horizonte não é horizontal

É importante saver que esta Regra também é aplicável nos casos que não seja visível alguma linha horizontal bem definida. Isto acontece quando no cenario há um bosque, umas montanhas, etc.

Fotografia de um amanhecer, que mostra na parte inferior o perfil irregular dos telhados dos predios, como horizonte., e sobre ele uma árvore sem folhas, que aparece com seus galhoe todos escuros do lado esquerdo da imagem, que destacam sobre o fundo de céu de nuvens  que reflitem a luz do sol que ainda não saiu no horizonte. Esta franja de núvens está no centro da imagem e no terço superior, há outras pequenas reflerindo a luz do sol, e que destacam sobre o céu cinça azulado. Esta imagem está dividida com por duas linhas  horizontais  separando as três áreas como diz a regra do horizonte.

Nestes casos devemos considerar, como nos outros, que temos as duas linhas imaginarias horizontais. A partir de aí deveremos decidir que relevância desejamos que tenha na fotografia, cada área do cenario.  

1.2.- Quando o horizonte não é visível

A percepção de quem observa uma imagem é controlada por padrões de lógica, que nosso cérebro usa para se orientar.

No caso, nosso cérebro procura uma orientação que lhe indique a verticalidade de alguns elementos. Também poderemos usar outros objetos do cenario, para obter o efeito vertical, árvores, paredes nas rochas, uma cachoeira, etc.

Fotografia de uma paisagem que mostra na parte inferior uma área bem definida de bosque verde, que cobre toda a saia da mmontanha rochosa que le eleva desde o centro da imagem, criando um perfil bem irregular com suas cristas arredondadas, que parte do centro da imagem e sobe ate a esquerda da fotografia. Na parte inferior direita, aparece uma pequena torre metálica de linhe elétrica, que no caso foi utilizada como orientação para posicionar corretamente o enquadramento da fotografia, que carece por completo, de linha de horizonte. Esta fotografia é um exemplo que mostra ums das situações que indica a regra do horizonte.

Quer dizer, na falta de um horizonte nosso cérebro tenta encontrar linhas verticais para se posicionar, mesmo queas linhas não estejam no cenario. Assim poderemos usar como referência, um prédio, um muro, uma árvore, um poste de linha elétrica, etc., que normalmente seja vertical.

1.3.- Que é Enquadramento Holandês?

Estae modo de enquadramento, consiste em em girar a câmera uns 45 graus com a vertical, propositalmente. També conhecido como enquadramento Aberrante. 

Ele é usado para conseguir incorporar à composição um efeito que capte a atenção de quem veja a imagem resultante.

Imagem da cidade de Atenas na Grécia. é um exemplo de enquadramento aberrante ou Holandês, que apresenta a imagem inclinada uns 45 graus respeito à horizontal

Básicamente procura-se incorporar um efeito dinâmico na imagem, que realmente não existe no cenario original.

Este recurso de enquadre foi na origem muito utilizado na cinematogrfía alemã da decada entre 1930 e 1940. Usava-se para acentuar certo desequilibrio ou instabilidade, em uma situação ou de um personagem.

1.4.- Que relação tem com outras regras?

Acredito que você conhece as regra mais importante da composição fotográfica, que é a Regra dos Terços. Esta regra diz que dentro do enquadramento da fotografia, existem 4 pontos fortes ou áureos, que temos que aproveitar para criar imagens impactantes.

Imagem do esquema de enquadramento horizontal, com as duas linhas horizontais, e duas verticais, que dividem as superficie do enquadramento em nove partes iguais, Os quatro pontos de cuzamento das quatro linhas, estão remarcados com circulos de cor vermelha, para salientar os pontos fortes ou áureos, como indica a regra dos terços. Este esquema serve para explicar a relaçao existente entre a regra do horizonte e a regra dos terços.

E que para localizar estes pontos se dividetemos que dividir em 9 partes iguais a supeficie do enquadramento. Estes pontos fortes ou áureos, estão localizados nos cruzamentos das linhas imaginarias que dividem esta superficie em 9 partes iguais, como se aprecia na imagem acima.

Assim na hora em que são colocadas as duas linhas imaginarias horizontais, dividimoa o enquadre em 3 partes iguais. No caso do enquadre ser vertical, igualmente teremos 3 partes iguais ao dividirmos em 3 partes iguais.

Esta é a descrição feita no começo, do que é a Regra do Horizonte, e portanto esta é a origem e relação entre estas duas regras de composição.

1.5.- O horizonte não está nas linhas e nem é horizontal

Sempre falei de que o importante das Regras é conhecê-las e usá-las, e conferir o resultado em nosso trabalho. Quando temos pratica na aplicação delas, podemos começar a brincar colocando o horizonte em posições e com inclinações diferentes..

Aplicar nossa criatividade, testar colocando o horizonte no enquadramento, para consiguir os efeitos que queremos transmitir com nossa fotografia.

Isto tudo significa que a Regra do Horizonte, ainda oferece uma terceira opção, que é considerá-la como uma recomendação na hora de copor nossa fotografia.

imagem de uma paisagem do mar, que mostra a linha do horizonte, quye no caso está formado por a entrada e o espigão de rochas que delimita o porto deportivo, cheio de mastro e de embarcações de recreio e deportivas que estão amarradas no cais. Este porto está posiconado bem no centro da fotografia, e do lado direito aparece uma rocha escura que cai ate o mar. Este horizonte divide a imagem em duas dando o mesmo protagonismo ao mar e ao céu, como exemplo de quebra de regra do horizonte.

Isso porque quando falamos de arte, existem liverdades que nos permitem criar coisas únicas, e a fotografia é um arte.

Assim se colocamos o horizonte no centro do enquadramento, damos a mesma relevância à parte superior que a inferior. Coisa que é perfeitamente válida, desde que isso faça sentido para o espectador.

1.5.1.- Por que se preocupar pelas regras?

Chegado este ponto é necesario esclarecer que, é preciso saber quando quebramos uma regra, porque o fazemos.

Não se trata de sair por aí fotografando tudo o que se mexe, sem sentido nem técnica. Devemos saber qual é o finalidade, o que desejamos transmitir com nossa fotografiaao  quebrar essa regra.

Esta fotografia mostra uma pequena cidade aos pes de um morro de pedra, pelado que está coroado por uma muralha medieval com varias torres de vigia, que eram usadas naquele tempo, para proteger à cidade das invasões inimigas. Esta cidade éstá na provincia de Teruel na Espanha. A fotografia foi feita com um enquadramento desde uma caminho que vai para a cidade e que aparece em primeiro termo do lado inferior esquerdo, envolvido por mato verde do lado direito, e  do lado esqerdo o limita uma ladeira coberta de grama, e sobre ela há umas pequenas érvores. Em volta dos limites do enquadrmaento aparece a folhagem de um pé de castanha, situado sobre o caminho..Esta imagem é um exemplo do caso em que não existe horizonte no enquadramento, como caso particular da regra do horizonte.

As vezes para conseguir nosso objetivo, que pode ser criar um efeito ótico ou uma perspectiva, é nesse caso as linhas são muito importantes.

Outras vezes o horizonte não é visível, outras a fotograafia foi captada desde um ângulo de enquadre que não inclui o horizonte

2.- Conclusão

Em este artigo foi explicado que é a Regra do Horizonte, e como usá-la na composição de nossas fotografias e tirar o máximo proveito dela.

Da mesma forma poderá encontrar todo tipo de informações em outros artigos como estes:

Também pode encontrar muita mais informação sobre outros conceitos básicos nesta página Começar Aquí, sobre qualquer conceito relacionado com o maravilhoso mundo da fotografia.

Finalmente sobre as Regras de Composição fotográfica, dizer que precisamos conhece-las, e se vamos quebrá-las, que saivamos porque o fazemos. Não adianta ignorá-las sem mais, e ainda acreditar que poderemos crescer como fotógrafos sem levá-las em considerção.

Espero ter contribuido com este artigo para que possa melhorar suas fotografias, tirando o máximo proveito desta informação. Se gostou do artigo deixo seu comentario que terei prazer em responder. Ate o próximo artigo!

Este site usa cookies próprios e de terceiros para recopilar informação estatistíca, e mostrá-lhe publicidade relacionada com sua preferência, gerada a partir das suas pautas de navegação. Caso de continuar navegando, consideramos que aceita esta utilização. Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close