Menu

Quer Fotografar a Lua?

By clopezso | Técnicas

Quer Fotografar a Lua?

Que fotografar a Lua e, está encontrando algumas dificuldades, já fiz algumas tentativas, mas sem resultados positivos?

Não fique encabulado nem seja pessimista! Quer dizer, isso como tudo nesta vida, precisa de arrumar o jeito certo.

Neste artigo, vou dar algumas dicas, ou seja, uma mãozinha para você “bater no prego” a próxima vez que fotografe à Lua.

(Fotografia 1) Lua queimada (Tirada com Fuji FinePix S8000fd)  Ajustes: ISO 200; EV1/125; f 5.6; DF= ) 

Este exemplo da imagem acima, é para mostrar como é fácil cometer erros e, obter uma fotografia queimada. Ou seja, o excesso de luz apaga qualquer detalhe do objeto.

Este é em muitos casos, o motivo de uma frustração. Mas, vamos com calma para atingir nossa finalidade. Outros ajustes que devemos controlar, são estes:

  • Selecionar o modo de focagem contínua, para que a câmera esteja focalizando em todo momento.
  • Trabalhe sempre, com o controle manual da câmera
  • Ajuste a fotometria em pontual para que a medição da luz seja mesmo no centro da imagem, no caso da Lua
  • Ajuste a velocidade d obturador EV pelo aproximadamente em 1/160 para começar a testar (depois deverá ajustá-lo aos outros parâmetros)
  • Esteja disposto a fazer algumas fotografias ruins (umas 20 ou 30), até acertar os ajustes.
  • Pense que está fotografando um objeto muito luminoso e, se atente com a ISO
  • Usar câmera com lente que tenha zoom (câmera zoom, digital avançada, ponte) e, ajustar a lente com a máxima distância focal, ou seja, ao infinito.
  • Ative a opção “anti shaking” antivibração da sua câmera

1.- As Primícias

Antes de mais nada, acho interessante analisar o efeito que sobre cada um de nós, produz tentar uma e outra vez, sem conseguir essa fotografia da Lua, que vimos em alguma revista. Chega até nós frustrar, porque as vezes sai muito clara, outras tremida, outras escura, etc.

Não desespere! Isso tudo tem jeito como veremos a seguir, aliás, não é nada de ciência ficção, pode acreditar.

Como todo trabalho, fotografar à Lua, precisa de preparo e observação, antes de entrar com a técnica fotográfica mesmo. Ou seja, temos que observar minuciosamente, todas as variáveis contidas no cenário:

  • Existe poluição no ar que afete à luz da Lua? (muito comum nas cidades)
  • Há algum tipo de neblina ou serração? (frequente perto dos rios e lagoas)
  • Temos nuvens que possam cobrir, nem que seja parcialmente, à Lua?
  • Em que face se encontra a Lua, cheia, meia Lua, etc. (crescente ou minguante)
  • Em que altitude se encontra sobre o horizonte? (isso a torna de cor mais pálido)
  • Está com cores avermelhadas? (se sim, precisará usar maior sensibilidade ISO, ou adiar)

Estes pontos são importantes, porque afetam muito às nossas possibilidades de sucesso.

Além disto tudo, temos que a Terra gira com velocidade supersônica, ou seja, 40.000 Km /24 h = 1.666,67 Km/h que é bem superior à velocidade do som (aproximadamente 1.290 Km/h).

Ainda por cima, a Lua também se movimenta ao redor da Terra, quer dizer, esses fatores afetam bastante ao tempo de exposição. Portanto, afetam à velocidade do disparo, e a sensibilidade ISO.

Esta realidade condiciona ter que usar um tripe, para manter nossa câmera o mais fixa possível.

2.- O Poder da Luz Lunar

Para fotografar a Lua, temos que ser cientes de que a Lua é um imenso espelho pendurado no espaço. Ela reflexa a luz do Sol, entanto nós estamos imersos na escuridão da noite, no lado escuro da Terra.

Assim, esse imenso espelho, numa noite despejada com céu límpido, pode exigir ajustar uma sensibilidade ISO baixa.  Além disso, teremos que ajustar uma apertura de diafragma, mas bem fechada, mesmo estando na escuridão.

Por outro lado, a distância focal será o mais fácil de ajustar, porque precisa ser sempre a maior que qualquer lente possuir. Quer dizer, sempre ajustaremos ao infinito. Sim, esse (8), horizontal (), que aparece no fim da escala de ajuste da distância focal, de muitas lentes.

Uma coisa que sim é certa. Não vai precisar de um telescópio para fotografar a Lua, com boa qualidade.

A fotografia 2, com ajustes bastante afinados, é a que está abaixo destas linhas, que é mostrada para fazer uma comparação com a fotografia 3, que foi tirada com outros ajustes diferentes, e têm melhor qualidade.

(Fotografia 2) Lua cheia (Fotografada com Fuji FinePix S8000fd) Ajustes: ISO 200; EV1/200; f 4.5; DF= ∞

(Fotografia 3) Lua cheia (Fotografada com uma Fuji FinePix S8000sd) Ajustes: ISO 200; EV1/500; f 3.5; DF= ∞ 

3.- Ajustar os Parâmetros Corretos

Como sempre acontece, é possível usar vários ajustes adequados, para fotografar um mesmo objeto. Mas isso, não significa que esses ajustes correspondam a câmeras diferentes, nada disso. São da mesma câmera como indicado nas fotografias 2 e 3, no parágrafo anterior.

Vejamos com detalhe, os ajustes que temos que fazer, levando em consideração todos os elementos que temos no cenário.

3.1.- Como Está o Céu?

Como indicado no anterior parágrafo 1, é indispensável observar o céu, como está? Há muita contaminação, está com alguma neblina, tem nuvens, (se estiver perto de um aeroporto), se há aviões voando nessa hora, etc.

É necessário levar em conta estes detalhes, para não prosseguir com os preparativos, caso algum desses elementos possa atrapalhar o cenário.

Quer dizer, para não perder nosso tempo preparando tudo, e que na hora “H”, resulte que um avião, as nuvens, uns morcegos, etc., estraguem nosso trabalho.

Para conseguir ficar centrados no que estamos fazendo, precisamos nossa atenção centrada em fazer todos os ajustes, de forma correta.

3.2.- Distância Focal

Como foi indicado no parágrafo do cabeçalho, é recomendável usar uma câmera que tenha lente com zoom. Pode usar uma das conhecidas como: câmera de entrada, câmera zoom, câmera ponte, etc. Ou seja, uma câmera digital avançada, das que não permitem trocar a lente, que é fixa de fábrica.

Assim, é necessário ajustar a lente com zoom na distância focal máxima DF (∞), para pegar a Lua com máximo tamanho possível.

3.3.- Ajustar a Medição da Exposição

A forma em que ajustemos a forma de medir a exposição, é muito importante porque disso dependeram os outros ajustes.

O correto é ajustar a medição da exposição em pontual, para que a câmera receba a luminância do ponto central da Lua. Caso pense em ajustar outra forma de medição, como pode ser a matricial, indico-lhe que terá problemas.

A fotografia 1 do parágrafo do cabeçalho, foi tirada com a medição de exposição matricial. O resultado foi a fotografia “queimada”, por excesso de luz. 

Quando focalizamos nossa câmera à Lua, estamos focalizando uma fonte de luz potente, que destacada na escuridão do céu.  

Portanto, vamos ajustar a medição da exposição na opção pontual, para ajustar de forma correta, a apertura, a velocidade e, a sensibilidade ISO.

3.4.- A Focagem

Como foi indicado no ítem 3.2.-, a focagem deve ser ao infinito (∞), más há varias formas de focar ao infinito.

Normalmente, a focagem automática funciona perfeitamente. Mas, se ao focalizar o anel da lente gira e não focaliza direito, focalize um objeto qualquer que esteja o mais distante possível. A seguir focalize de novo à Lua com essa mesma focagem.

3.5.- Velocidade do Obturador (EV)

Para ajustar a velocidade do obturador, devemos partir da base que a Lua se desloca ao redor da Terra. Assim, para “congelar” ao máximo esse movimento, teremos que ajustar uma velocidade como mínimo, de EV 1/125.

Essa velocidade será adequada para as primeiras tentativas, mas como é bom relembrar, a velocidade afeta às outras duas variáveis. (Aconselho ver Triângulo de Exposição).

Quer dizer, com EV 1/125 teremos que ajustar:

  • Sensibilidade ISO 100
  • Apertura do diafragma f 7 
  • Distância focal DF (∞) infinito

Estes ajustes são apropriados para fazer os primeiros testes, isso sim, com a câmera fixada no tripe.

(Fotografia 4) Meia Lua (Fotografada com Fuji FinePix S8000fd) Ajustes: ISO 200; f4.5; EV 1/160; DF ∞) 

A fotografia acima desta meia Lua, como é lógico, apresenta menor luminância do que quando é Lua cheia. Aproximadamente a metade de luz. Por isso os ajustes são diferentes, quer dizer, mesma sensibilidade, diafragma mais fechado, com exposição bem maior.

4.- Conclusão

Volto a perguntar o mesmo que no cabeçalho, quer fotografar a Lua? Imagino que a resposta é sim, portanto, para facilitar as coisas, vou colocar numa tabela, os ajustes indicados neste artigo:

Tipo de ajuste 

Fotografia 1

Fotografia 2

Fotografia 3

Fotografia 4

Item 3.5.-

Sensibilidade (ISO)

200

200

200

200

100

Tempo exposição (EV)

1/125

1/200

1/500

1/160

Enter your text here...

1/125

Abertura diafragma (f)

5.6

4.5

3.5

4.5


7

Distância focal (DF)

Agora a minha expectativa é que você desfrute, usando estas recomendações, e conseguindo fotografar a Lua sem maiores problemas.

Espero que este artigo seja de utilidade para você e, ficarei muito grato se o compartilhar com seus colegas e amigos.

Caso tenha algumas dúvidas, por favor, deixe seu comentario que responderei com prazer. Até o próximo Artigo!

Este site usa cookies próprios e de terceiros para recopilar informação estatistíca, e mostrá-lhe publicidade relacionada com sua preferência, gerada a partir das suas pautas de navegação. Caso de continuar navegando, consideramos que aceita esta utilização. Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close